24 filmes para 2015: Um dia

A meta do Blogs que Interagem para este ano é o de propor aos seus integrantes mais idas ao cinema ou longas tardes de pijama vendo filmes no sofá. O projeto “24 filmes para 2014” consiste em assistir e resenhar 2 filmes por mês que se encaixem na lista de categorias sugeridas e sorteadas.

24-filmes-para-2015

Eu, que sempre que posso vou ao cinema e vejo vários filmes aos finais de semana não pude ficar de fora e vou iniciar postando sobre um filme da categoria: Baseado em livros.

tumblr_mlxrkxxyjc1s9gz5bo1_500_zps6241e99d

A vida costuma pregar peças e situações inesperadas, que por vezes são encaradas como banais, podem se tornar cruciais para o desenrolar de uma história ou por que não, de uma vida. Seria o destino ou o acaso?

Em 1988 Emma e Dexter se conhecem após uma festa de formatura. Ela é uma jovem cheia de ideias que tem o sonho de mudar o mundo, ele só quer conseguir ficar bonito em fotos espontâneas. Um dia, como outro qualquer, onde flertavam e quase transaram, vai marcar para sempre a vida de ambos.

A adaptação do livro, escrito por David Nicholls, conta a história de um casal a partir de um único dia por ano, ao longo de duas décadas. Por vezes os protagonistas nem ao menos se encontram mas o telespectador vislumbra o retrato geral de suas vidas e de que forma elas vão se cruzar novamente.

O filme, como era de se esperar, não superou as expectativas alimentadas pelo livro. A ausência de paixão e a não tão boa interpretação do ator Jim Sturgees não despertou no espectador uma simpatia pelo casal.

Apático, mas não menos interessante, “Um dia” cativa pelo todo. E se você, assim como eu, ama filmes de romance e leitura não pode deixar de acrescentá-lo na sua lista de filmes para assistir esse ano.

Um dia – David Nicholls

Emma Morley e Dexter Mayhew se conhecem no dia 15 de julho de 1998. Dois universitários recém formados que passam a noite da formatura juntos conversando sobre seus medos e planos para o futuro.

Um trato silencioso é formado entre o escritor e o leitor que descreve durante 20 anos, sempre no mesmo dia 15 de julho, a vida dos dois personagens: suas histórias, felicidades, infelicidades, vitórias, fracassos, amores, encontros e desencontros.

David Nicholls não escreveu um romance “mamão com açúcar”, não espere por capítulos repletos de: ele é lindo e somos felizes. O autor nos presenteia com uma história que exala normalidade, uma história estranhamente possível. O livro retrata conflitos que todos podem ou já vivenciaram alguma vez na vida: futuros incertos, empregos ruins e amores frustrados. E é exatamente isso que o torna tão interessante.

Um dia é um dos meus livros prediletos, daqueles que leio e releio, que inspiram, divertem e fazem chorar.

“Foi um dia memorável, pois operou grandes mudanças em mim. Mas isso se dá com qualquer vida. Imagine um dia especial na sua vida e pense como teria sido seu percurso sem ele. Faça uma pausa, você que está lendo, e pense na grande corrente de ferro, de ouro, de espinhos ou flores que jamais o teria prendido não fosse o encadeamento do primeiro elo em um dia memorável. (Charles Dickens, Grandes esperanças)”.