24 filmes para 2015: Menina de ouro

* Essa resenha pode conter spoiler.

A meta do Blogs que Interagem para este ano é o de propor aos seus integrantes mais idas ao cinema ou longas tardes de pijama vendo filmes no sofá. O projeto “24 filmes para 2014” consiste em assistir e resenhar 2 filmes por mês que se encaixem na lista de categorias sugeridas e sorteadas.

drama-filme

A segunda categoria escolhida para o mês de janeiro foi: Drama.

O filme “Menina de ouro”, dirigido por Clint Eastwood, ganhador do Oscar Melhor filme, Melhor Diretor, Melhor Atriz e Melhor Coadjuvante retrata a história de Maggie, uma mulher de 30 anos que sonha com a carreira de lutadora de boxe. Ao conhecer Frankie, um treinador de grandes lutadores, surge a esperança de alcançar seu objetivo, apesar da idade e do fato de ser uma mulher buscando espaço numa profissão predominantemente masculina.

No auge da sua evolução como lutadora, diante de conquistas pessoas e profissionais, Maggie sofre um trágico acidente que modifica não só sua vida, como a de Frankie. O filme apresenta os “altos e baixos” da personagem: quando inicialmente trabalhava em uma lanchonete e comia as sobras que os clientes deixavam em seus pratos, suas vitórias e consequentemente seu novo padrão de vida e por fim seu desespero diante das condições em que o acidente a colocou.

Um filme triste, sensível e ligeiramente otimista que fala sobre amizade, perseverança, igualdade de gêneros e superação. Emocione-se com a história de vida de uma garota sonhadora e aprenda que para haja sucesso existe o sacrifício e a determinação.

As vezes o melhor jeito de dar um bom soco é recuando, mas se recuar demais você acaba derrotado. (Menina de Ouro)

(Menina de ouro)

24 filmes para 2015: Um dia

A meta do Blogs que Interagem para este ano é o de propor aos seus integrantes mais idas ao cinema ou longas tardes de pijama vendo filmes no sofá. O projeto “24 filmes para 2014” consiste em assistir e resenhar 2 filmes por mês que se encaixem na lista de categorias sugeridas e sorteadas.

24-filmes-para-2015

Eu, que sempre que posso vou ao cinema e vejo vários filmes aos finais de semana não pude ficar de fora e vou iniciar postando sobre um filme da categoria: Baseado em livros.

tumblr_mlxrkxxyjc1s9gz5bo1_500_zps6241e99d

A vida costuma pregar peças e situações inesperadas, que por vezes são encaradas como banais, podem se tornar cruciais para o desenrolar de uma história ou por que não, de uma vida. Seria o destino ou o acaso?

Em 1988 Emma e Dexter se conhecem após uma festa de formatura. Ela é uma jovem cheia de ideias que tem o sonho de mudar o mundo, ele só quer conseguir ficar bonito em fotos espontâneas. Um dia, como outro qualquer, onde flertavam e quase transaram, vai marcar para sempre a vida de ambos.

A adaptação do livro, escrito por David Nicholls, conta a história de um casal a partir de um único dia por ano, ao longo de duas décadas. Por vezes os protagonistas nem ao menos se encontram mas o telespectador vislumbra o retrato geral de suas vidas e de que forma elas vão se cruzar novamente.

O filme, como era de se esperar, não superou as expectativas alimentadas pelo livro. A ausência de paixão e a não tão boa interpretação do ator Jim Sturgees não despertou no espectador uma simpatia pelo casal.

Apático, mas não menos interessante, “Um dia” cativa pelo todo. E se você, assim como eu, ama filmes de romance e leitura não pode deixar de acrescentá-lo na sua lista de filmes para assistir esse ano.

Operação Big Hero

É em uma mistura de São Francisco com Tóquio, na São Fransókio, que vivem os irmãos Tadashi e Hiro Harado, órfãos que foram criados pela tia. Ambos são nerds apaixonados por robótica. Tadashi, o mais velho, estuda na mais renomada universidade de tecnologia da cidade e nas horas vagas dedica-se a livrar Hiro, um pequeno gênio que aos 13 anos de idade concluiu os estudos, das confusões que se mete sempre que resolve participar de lutas ilegais de robôs.

Conhecendo o potencial do seu irmão mais novo e também sua aversão por faculdades, Tadashi resolve levá-lo ao seu laboratório e lá Hiro conhece seus colegas e também Baymax, um robô-enfermeiro que reconhece problemas de saúde e psicológicos e faz de tudo para ajudar seu paciente. Mais tarde Hiro, Baymax e seus novos amigos juntam-se para enfrentar um vilão mascarado. A trama tem os elementos certos para prender a atenção de crianças e adultos através de cenas de ação e humor.

Foi a primeira vez que assisti uma animação no cinema, por tanto me deparei com muita risada e cochichos durante quase todo o filme. Mesmo assim a experiência foi muito válida. 

Sou apaixonada por desenhos, nunca perco oportunidade de assistir novamente Procurando Nemo, Frozen, Enrolados e etc. Operação Big Hero é com certeza meu mais novo desenho preferido. Prepare-se para lições sobre amizade, perdas e amor, cenas repletas de muita fofura e claro muita gargalhada.

Melhores estreias de 2014

Não sou cinófila igual ao Rodrigo do Discutindo Cinema, nem tenho objetivo de transformar o Curioso Paradoxo em um Omelete “da vida”, mas como pago minhas contas e sou maior de idade sinto-me no direito de eleger os melhores filmes de 2014:

Fui ao cinema muitas vezes esse ano, assisti ótimos filmes e me decepcionei com alguns. Pensando nas pessoas que não tiveram tantas oportunidades e que ainda não viram todos os filmes fiz esse ranking com o intuito também de suprir a falta de tempo de resenhar cada um deles. Como vocês podem notar considerei Interestelar a melhor estréia de 2014 e estou curiosa para saber o que cada um de vocês elegeu como favorito.

Hansel and Gretel: Witch Hunters (2013)

Hansel e Gretel são dois personagens da literatura infantil, conhecidos aqui no Brasil como João e Maria.  O filme não sei se pode-se dizer que foi baseado no conto. Apenas uma nova versão super modificada. A únicas semelhanças, além do casal de irmãos, é a casa de doces e a bruxa queimada viva no forno.

No longa não temos a famosa trilha de migalhas de pão. Os irmão são abandonados na floresta pelo pai e encontram uma cabana feita de doce. São aprisionados por uma bruxa, mas conseguem escapar e jogar a velha no forno.  Depois da traumática experiência, os irmãos, imunes à feitiços, formam uma dupla de caçadores de bruxas.

videos_bg_02

Em uma pequena cidade, crianças alvos das feiticeiras, começam a desaparecer e os irmão são contratados para investigar o caso e resgatá-las. Além dos combates, Hansel e Gretel começam aos poucos relembrar o passado sombrio e antigos segredos serão revelados. Umas da bruxa que enfrentarão é a poderosa Muriel, interpretada pela Famke Janssen. O elenco ainda conta com Gemma Arterton e Jeremy Renner nos papeis principais.

witch

Apesar da pitada de violência, achei a linguagem mais infantil e as bruxas com aquela pitada de humor “debilóide”. Apenas Muriel é séria e focada nos objetivos. Todas as outras são exageradamente caracterizadas ou com uma mentalidade baixa, sempre dando alguma mancada. Não achei pesado demais demais para crianças de 10 à 12 anos, embora a classificação seja 14. Também é um bom filme para adultos, embora não tenha nada de muito especial. Achei apenas bom.

Tenho gostado dessas adaptações de histórias infantis, como já resenhei aqui Malévola e Branca de Neve e o Caçador.  Quem tiver uma indicação do gênero, deixe aqui nos comentários. 😉

Yagami Nana Blog | Facebook

 

Jogos Vorazes: A Esperança – parte 1

“Jogos Vorazes: A Esperança – parte 1” foi, para mim, o filme mais esperado do ano. Obviamente muitos outros me causaram certa ansiedade e/ou me surpreenderam mas o terceiro filme foi impacientemente esperado, eu literalmente contei os dias para a estréia.

Jogos vorazes é uma trilogia que, até o momento, provou que adaptações de livros podem ser fielmente e brilhantemente reproduzidas. Até me arrisco a dizer que surpreendentemente melhor que o material original em alguns aspectos.

A Ketniss de Jennifer Lawrence é o ponto crucial da franquia. A facilidade da atriz em interpretar o abismo psicológico em que a personagem se encontra é o que faz com que os telespectadores criem uma empatia com os acontecimentos da trama, onde a fachada de heroína desmorona diante dos horrores presenciados nos Distritos 12 e 8 e principalmente pelo drama que envolve o trio amoroso.

Após cenas de confrontos, contato com a natureza e alívio cômico em situações desesperadas o espectador é surpreendido com um desfecho bombástico que o convence a não perder a continuação da adaptação “Jogos Vorazes: A Esperança – parte 2”, cuja data prevista de lançamento é 2 de Novembro de 2015.

Apesar de conhecer a história, por já ter lido os livros, e acreditar que nenhuma modificação drástica será feita, a minha contagem regressiva recomeçou. Que 2015 passe depressa para que ótimos acontecimentos possam me maravilhar, dentre eles o enlace dessa história fascinante.

Branca de Neve e o Caçador (2012)

Quando o filme foi lançado até bateu aquela curiosidade de assistir. Mas o fato da Kristen  Stewart estar no papel principal me levou a fazer uso do pré-conceito. Sim, sou mais uma que acha ela a pessoa mais sem sal e sem expressão da face da terra. O filme entrou na lista do Netflix recentemente e acabei cedendo em um dia de tédio. De fato, lá estava a Kristen com aquela cara de Bella. Ela nasceu para Bella, e com cara de Bella morrerá. Parece que ela nunca sai do personagem (ou não entra em nenhum).

Atores à parte, confesso aqui que esse foi o melhor longa que já vi sobre a Branca de Neve. Não sei se já assisti todos os existentes, mas dos que conheço, sim. A história também foi bem modificada, como em Malévola. Branca de Neve não é aquela pobre princesa indefesa. Ela é pura, bondosa, mas é forte e corajosa. Após seu pai, viúvo, se casar com outra mulher, ele é assassinado pela rainha ainda na noite de núpcias. Ravenna (nossa conhecida Evil Queen) assume o poder e transforma o reino em um lugar sombrio e cheio de sofrimento. (Até aqui a história não é novidade para ninguém).

Ravenna

Branca de Neve, que foi por anos mantida prisioneira, um dia consegue fugir do castelo, e corre para a floresta negra, onde ninguém tem coragem de entrar. Ravenna então chama um caçador local, que conhece o lugar e manda que encontre a fugitiva.  Eric obedece, mas quando encontra a jovem acaba mudando de ideia. Os dois fogem e pelo caminho encontrarão pessoas dispostas a ajudar a princesa reconquistar o trono.

E é na sequência que conhecemos os anões: Beith, Gus, Quert, Muir, Coll, Duir, Gort e Nion. Sim, são 8 anões e não 7. E ao que pude perceber apenas 1 ator que interpretou um anão é de fato baixinho. Todos os outros que reconheci são de estatura normal. Então ficou aquela coisa estranha: pernas curtas e mão grandes. Porém os anões são muito mais interessantes no filme (e muito mortais também).

Anões

Por fim, valeu a pena. Se está procurando um filme mais leve para ver num dia de bobeira, recomendo. E continuem de olho aqui no Modernosas, que eu volto em breve para resenhar outro filme baseado em um conto infantil. Quem assistiu, diz o que achou! ;D

Yagami Nana Blog | FanPage

Maleficent (2014)

Tá aí um filme que quando ouvi todo mundo comentando, não senti vontade de assistir. Fiquei bem curiosa para ver a Angelina Jolie como uma vilã da Disney, mas ainda sim, não foi motivo suficiente para me despertar interesse. Clique vai, clique vem… acabei vendo em algum lugar uma pessoa contando a história do filme. Isso sim chamou a atenção e eu quis ver.

Pra quem não assistiu nem leu sobre o filme, saiba que ele não é só uma filmagem humanizada do conto que conhecemos. Eles traz uma nova versão da história. Malévola (Maleficent) não é bem aquela bruxa/fada má e cruel que os desenhos mostraram.
Na animação e na história quase original dos livros infantis, (esse quase se você quiser entender, pesquise por contos dos irmãos Grimm no google) Malévola (ora chamada de bruxa, ora de fada do mal) fica revoltada ao descobrir que não foi convidada para o evento mais importante do reino: o batizado de Aurora, filha do rei.
Como vingança, ela lança uma maldição na menina, Quando Aurora completar 16 anos, ela espetará o dedo na agulha de um roca de fiar e morrerá. Um das fadas presentes diz não ter poder para tirar a maldição, porém consegue mudá-la. Aurora ao invés de morrer, cairá em um sono profundo da qual só poderá despertar com um beijo do príncipe… E o final você já conhece.

Malévola Disney

Agora resumirei a versão do filme (sem contar fatos importantes) porém se você quer 100% de surpresa, não leia o texto entre os indicadores de spoilers que colocarei abaixo.

[Começo do Spoiler]

Segundo a nova versão, Malévola nem sempre foi má. Ela era uma fada e protetora do reino dos Moors. Entre os humanos, corriam boatos de que aquele reino encantado era cheio de tesouros (dos quais queriam posse) e criaturas horrendas. Por conta dessa ambição, Malévola foi engana por um humano e teve seu bom coração tomado pelo rancor. Esse humano veio a se tornar rei e casou-se com um mulher, com quem teve uma filha (Aurora). Ao saber do nascimento da menina, a fada que não mais acreditava no amor e na bondade dos homens, lançou um maldição na recém-nascida. De início, Aurora deveria morrer. Mas ao ver o rei implorar, ela decide colocar a garota em coma, e somente com um beijo de amor sincero ela poderia despertar. Como para Malévola o amor verdadeiro não existia, a garota jamais acordaria.

[Fim do Spoiler]

Como prometido, não revelei muito. Ainda sim, está devidamente sinalizado. Claro que tem muito mais e a história é muito mais bonita, emocionante e interessante que o conto de fadas tradicional.

Angelina ficou perfeita no papel de “vilã”. E o filme deixou um gostinho de quero mais.

Maleficent child

Isobelle Molloy como Maleficent ainda criança

 

Maleficent Before Evil

Malévola boa

 

Maleficent After evil

Malévola má

Agora você que assistiu me conta: prefere a história original, ou a do filme?

Yagami Nana Blog | FanPage

TAG: Viciada em Filmes

A Ana Lopes do blog Yagami Nana me chamou para participar da Tag: Viciada em Filmes, que consiste em responder as perguntas apresentadas abaixo e no final convidar mais um blog para participar. Sem mais delongas, vamos ao que interessa:

1 – Qual foi o último filme que você assistiu?

maze-runner

O último filme que assisti foi Maze Runner – Correr ou morrer. Estava ansiosa por causa das ótimas críticas relacionadas aos livros e ao filme, por isso fui assisti-lo no cinema. Em breve farei uma resenha sobre Maze Runner – Correr ou morrer aqui no blog!

2 – Um filme que quer muito ver?

a-esperanca-jogos-vorazes-parte-um

Tem muitos filmes que quero muito ver como: O Hobbit 3 – A Batalha dos Cinco Exércitos, Batman V Superman: Dawn of Justice, Êxodo: Deuses e Reis, A Série Divergente: Insurgente, Interestelar e muitos mais mas estou literalmente contanto os dias para assistir  A Esperança, a primeira parte do último filme da trilogia Jogos Vorazes. Sou apaixonada pelos livros, amei a adaptação nos filmes e não vejo a hora de poder ver a Catnip novamente.

3 – Um filme para chorar?

a-culpa-e-das-estrelas

Vai parecer clichê não eu não me importo: A culpa é das estrelas é um filme para chorar e muito!

4 – Um filme para rir?

guardioes-da-galaxia

Fazia tempo que não ria tanto com um filme que teoricamente não iria me fazer rir: Guardiões da Galáxia.

5 – Um suspense?

a-janela-secreta

Um escritor em crise que acaba de se separar resolve se isolar numa cabana e vive tranquilamente até começar a ser perseguido e acusado de plágio. A janela secreta é surpreendente e o ator principal é o querido Johnny Depp.

6 – Um filme para ver com a família?

sempre-ao-seu-lado

Minha família ama animais, em especial cachorros, assim como eu. Por isso acho que um filme para ver com ele seria “Sempre ao Seu Lado”.

7 – Um romance?

ps-eu-te-amo

Tenho uma quedinha por filmes de romance, por isso é difícil escolher somente um. Mas um dos que considero melhor filme de romance é P.S Eu te amo.

8 – Um filme lindo?

as-vantagens-de-ser-invisivel

As vantagens de ser invisível.

9 – Um filme para morrer de medo?

rec

REC. Pra morrer de medo e de nojo, mas é muito bom.

11 – Um filme que não vale a pena?

Frankenstein-2014

Frankenstein – Entre Anjos e Demônios. Errou no enredo, na escolha dos personagens, nos efeitos, no desfecho…

12 – Um filme para o feriado?

divergente

Divergente.

13 – Um desenho animado?

procurando-nemo

Sou uma eterna criança, amo filmes de desenho animado e eu fiquei em dúvida entre: Procurando Nemo, Frozen e Rio 2. Mas acho que é melhor de todos é Procurando Nemo!

14 – Um filme que todo mundo tem que ver?

para-sempre

Para Sempre. Um filme que fala sobre amor e recomeço.

15 – Um filme que você assistiu 3 ou + vezes?

o-casamento-do-meu-melhor-amigo

O casamento do meu melhor amigo.

16 – Um filme para meninas?

quatro-amigas-e-um-jeans-viajante

4 amigas e um jeans viajante.

E aí modernosas, gostaram dos filmes que citei? Discordam em algum ponto?

Queria dizer que super aceito tags viu?! Acho muito legal essa interação entre blogs e falando nisso, a próxima a responder será Fiama do blog Hello!. Não deixem de visitar o blog dela 😉

Como se fosse a primeira vez (50 First Dates – 2004)

Essa é uma das poucas comédias românticas que gosto. Assisti a primeira vez no dia do meu aniversário de 14 anos, bem na estreia do filme nos cinemas (brasileiros). Mais uma razão pra eu lembrar dele com tanto carinho.

Henry (Adam Sandler) estava em uma lanchonete, em um dia comum, quando conheceu Lucy (Drew Barrymore). Ele se aproximou, conversaram e tomaram café juntos. Quando se encontram novamente, ela não o reconheceu e o tratou como completo estranho. O que o Henry não sabia, era que Lucy tinha sofrido um acidente que causou uma condição neurológica rara: ela só guarda as memórias que teve até o dia do acidente. Tudo o que acontece no dia dela é resetado e apagado no dia seguinte, e ela vive o mesmo dia todos os dias.

Apaixonado, Henry tenta reconquistá-la dia após dia. O que depois de um tempo se torna difícil, pois o pai e o irmão de Lucy, fazem de tudo para repetir, nos mínimos detalhes, o dia em que ela sofreu o acidente. Uma vez que sempre contavam sobre o problema de memória, ela sofria muito e eles tinham que ver essa cena se repetindo constantemente. E o trabalho para mante-la feliz implicava em todos os dias deixar um jornal com a mesma data na porta, pintar a garagem de branco, pra que ela pudesse redecorá-la, assistir a gravação do jogo de futebol, comemorar novamente o aniversário do pai, criando um loop infinito. e sempre que algo dava errado…. bem., no dia seguinte ela teria esquecido tudo mesmo.

Henry não se conforma com essa maneira de encararem o problema, mesmo porque chegaria o dia em que ela acordaria e se veria velha, enrugada e sem o pai da noite pro dia. Depois das diversas tentativas frustradas da família em separar Lucy da realidade, Henry por fim, consegue dar um final (quase) feliz à história. 237 O filme tem tudo o que gosto: uma história diferente e emocionante, comédia (afinal… é Adam Sandler), Havaí, animais marinhos e muito choro no final. Ele foge daquela clássico padrão água com açúcar da sessão da tarde e apesar de ter visto várias vezes e ser velho, continua sendo um queridinho para rever nos dias de tédio. Como se fosse a primeira vez 2 Como se fosse a primeira vez